Posts Tagged ‘Aracy A. Amaral’

“Artes Plásticas na Semana de 22″, de Aracy A. Amaral

Autor: Aracy A. Amaral

São Paulo: Editora 34, 1998

Publicada pela primeira vez em 1970, esta obra, ricamente ilustrada, chega à sua 5ª edição, revista e ampliada, com atualização bibliográfica e acréscimo, no apêndice, de dois textos de época inéditos em livro. Referência obrigatória no estudo da história da arte brasileira, expõe o contexto que fez da Semana um divisor de águas no nosso panorama cultural.

“Blaise Cendrars no Brasil e os Modernistas”, de Aracy A. Amaral

Autor: Aracy A. Amaral

São Paulo: Editora 34, 1997

Nesta nova edição, revista e ampliada, a historiadora e crítica de arte Aracy Amaral examina detalhadamente – e de forma pioneira – as relações do poeta suíço-francês Blaise Cendrars com os modernistas no Brasil. O livro aborda, entre outros fatos, o encontro de Cendrars com o grupo brasileiro em 1923, em Paris, a vinda do poeta ao Brasil no ano seguinte e as marcas que essa visita causou tanto em Cendrars como em Mário, Oswald de Andrade, Tarsila, Paulo Prado e outros.

“Correspondência de Mário de Andrade & Tarsila do Amaral”, de Aracy A. Amaral

Organizador: Aracy A. Amaral

São Paulo: Edusp, 2001.

Ultrapassando as fronteiras da amizade, as cartas trocadas por Mário de Andrade e Tarsila do Amaral oferecem ao leitor um contato direto com algumas das questões mais candentes que impulsionaram os artistas do período. Mostram o interesse pela atualidade das tendências artísticas internacionais, aliado à preocupação com a cultura brasileira, além de revelar detalhes dos processos de criação de dois dos maiores nomes do modernismo brasileiro. O volume inclui uma série de notas explicativas e a análise material dos manuscritos ao final de cada texto, cronologia, caderno de fotos e reproduções de diversos outros documentos, entre eles catálogos de exposições de Tarsila no período modernista.

“Tarsila: Sua Obra, Seu Tempo”, de Aracy A. Amaral

Autor: Aracy A. Amaral
São Paulo: Edusp e Editora 34, 2003

Este livro estabeleceu novo padrão para as pesquisas de artes plásticas em nosso país, ao estudar a trajetória de Tarsila sob o prisma da obra e de seu tempo, permitindo ao mesmo tempo melhor entendimento do modernismo brasileiro. Para sua pesquisa, contou com os depoimentos da própria artista, contribuindo para que documentos e testemunhos materiais que permaneciam no fundo das gavetas ou na memória dos participantes viessem a público. O livro é um ponto de partida exemplar para a o desenvolvimento de novas pesquisas sobre a arte brasileira no século XX.